Oportunidades para ensinar a acao na orientacao do processo de aquisicao da base alfabetica do siste

Postado por Equipe Pedagógica! Atualmente, defrontamos com basicamente dois tipos de professores alfabetizadores: A Sondagem da Escrita é um recurso essencial para o professor alfabetizador, pois permite identificar quais hipóteses as crianças têm acerca do funcionamento da língua.

É quando o valor sonoro torna-se imperioso, e a criança começa a acrescentar letras principalmente na primeira sílaba.

Evitar palavras com sílabas contíguas ,tipo urubu. Ajudando seu aluno a conceituar.

403 Forbidden

Aproveite as muitas oportunidades que aparecem em sala de aula para contar. Extrapole os limites de contagem das crianças por exemplo, se elas só contam até 10, introduza a contagem com 15 ou 20 elementos. Distribua para cada aluno 6 canetas e 6 tampas de caneta. Em seguida, repita a pergunta. Você pode usar, por exemplo: Aos poucos, os alunos devem concluir que a quantidades de objetos é independente da forma e do tamanho por exemplo: Explore o gosto das crianças por jogos e brincadeiras para criar situações de aprendizagem.

Quem tiver o maior valor, fica com os dois cartões. Ao final do jogo, ganha quem tiver mais cartões.

O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DA LINGUAGEM ESCRITA PELA CRIANÇA.docx 2018

Ambiente Alfabetizador - III. Criando um Ambiente Alfabetizador. No final da semana e no final de cada mês, questionar: Ambiente Alfabetizador - Parte II. Piaget, Vygotsky e Wallon.

Em nenhum momento em suas pesquisas, Emilia Ferreiro destaca a psicogênese da língua escrita como método de ensino. Ferreiro e Teberosky ressaltam que entre as propostas metodológicas e as concepções infantis, existe uma distância que pode medir-se em termos do que a escola ensina e do que a criança aprende.

O que a escola pretende ensinar nem sempre coincide com o que a criança consegue aprender. De uma forma geral, refazem a mesma trajetória que a humanidade percorreu no surgimento da escrita, ou seja: Os estudos de Emilia Ferreiro demonstram que as crianças constroem hipóteses a respeito da escrita e da leitura, da mesma forma que o fizeram para a aprendizagem da língua materna, a oral. As crianças tentam compreender desde muito cedo todas as informações que recebem, seja através de textos, de outras pessoas, quando participa de atos sociais que envolvem leitura e escrita.

Foi possível constatar através das pesquisas realizadas, que as crianças aprendem muito mais construindo do que repetindo o que os outros disseram ou demonstraram.

A linguagem passa a ser reduzida a uma série de sons, a contrastes sonoros ao nível do significante, dissociando-o do significado e assim, destruindo o signo lingüístico. A diferença entre os métodos resume-se nas estratégias perceptivas do que se propõe, auditiva ou visual, além das concepções do funcionamento psicológico dos sujeitos e teorias de aprendizagem diferentes.

No entanto, nenhum dos métodos preocupa-se com os aspectos fundamentais da aprendizagem:

2 Comentário

  1. Nathan:

    Para as autoras, algumas crianças diferenciam o desenho e o texto indicando que o texto serve para ler e o desenho só para olhar, no entanto, no decorrer das pesquisas realizadas, quando as crianças eram colocadas frente a fichas com desenho e letras, a maioria delas quando indagadas sobre onde poderia ser lido, apontavam concomitantemente para o desenho e as letras, mas nunca apontavam só para o desenho.

  2. Luana:

    Livro Gigante de Receitas da Turma do Sítio